Home > Vida e Saúde > Saiba qual é o esporte ideal para a saúde de acordo com sua idade

Saiba qual é o esporte ideal para a saúde de acordo com sua idade

Os efeitos positivos que o esporte tem sobre nossa saúde são muitos e já comprovados.

Encaixar uma atividade física no dia a dia pode diminuir os riscos de problemas cardiovasculares, alguns tipos de câncer e ajuda a combater diabetes do tipo 2, por exemplo.

Além do mais, auxilia para preservar nossa saúde mental: ao elevar o nível de endorfinas em nosso corpo, exercícios impactam nosso estado de ânimo e nossa autoestima.

Pode soar claro dizer que ter 20 anos não é o mesmo que ter 40. Mas também é óbvio pensar que nem todos os esportes são indicados para todas as faixas etárias.

Não saber adaptar a atividade física aos anos que vamos somando ao calendário pode, efetivamente, ocasionar certos riscos ao nosso bem estar físico (e mental, se considerarmos a frustração de perceber esse desgaste físico), dizem especialistas.

A professora de fisioterapia Julie Broderick, do Trinity College de Dublin, na Irlanda, elenca em um artigo no The Conversation, publicação online aberta sobre discussões acadêmicas, quais tipos de esporte são mais adequados de acordo com cada fase da vida.

Estas são suas recomendações gerais.

Na infância

Durante a infância, é ideal dedicar algum tempo a atividades ao ar livre não programadas. GETTY IMAGES

Fazer exercícios ajuda as crianças a manter um bom peso, contribui para a formação de músculos mais fortes, estimula a autoconfiança e ajuda a desenvolver padrões de sono regulares.

Durante essa fase da vida, é aconselhável testar diferentes esportes para fortalecer habilidades diferentes – desde natação até esportes com bola ou luta.

Especialistas também recomendam que crianças façam atividades físicas não programadas ao ar livre, como brincar no parque ou no quintal.

Na adolescência

A adolescência é uma fase em que as pessoas tendem a abandonar o esporte, então participar de times pode ser um caminho para manter interesse. GETTY IMAGES

Ao longo da adolescência, costuma-se perder o interesse em esportes, como destaca Broderick.

Mas manter-se ligado a alguma atividade física, nessa fase de mudanças, é bastante vantajoso para manter um bom condicionamento físico e, ainda, ajuda a controlar o estresse e a ansiedade.

Na medida do possível, é aconselhável que adolescentes participem de alguma exercício em equipe. Isso os mantém entusiasmados, expandindo seu círculo social e desenvolvendo a disciplina.

Se não for viável, esportes completos como a natação e o atletismo podem ajudar a manter a forma, conforme as recomendações de Broderick.

Aos 20

Essa é a fase da nossa vida em que conseguimos atingir nosso melhor nível físico, segundo apontam especialistas.

Os tempos de reação e de recuperação chegam ao seu ápice nessa etapa e o corpo bombeia oxigênio para os músculos de forma mais acelerada do que nunca.

Tente adquirir o máximo rendimento de sua capacidade física, experimentando diferentes tipos de esporte: rugby, remo ou mesmo levantamento de peso na academia.

Faça ainda com que seus treinos sejam diversificados e tente associar o trabalho aeróbico, anaeróbico e de resistência.

Aos 30

Manter a força e a saúde cardiovascular é um passo importante, mas também desafiador. A prática de trabalhos sedentários ou de obrigações familiares podem fazer com que seja difícil reservar um tempo para o esporte em nossas vidas nessa idade.

Os treinos de alta intensidade permitem realizar um bom volume de exercícios sem exigir muito tempo. GETTY IMAGES

Por isso, é necessário usar a inteligência.

Os especialistas sugerem treinos curtos, mas de alta intensidade (conhecidos como HIIT, na sigla em inglês) fazendo sprints, em bicicleta, correndo ou diminuindo os tempos de descanso ao fazer circuitos de resistência.

Para as mulheres, em especial depois de ter filhos, é aconselhável fazer exercícios de Kegel para fortalecer os músculos do assoalho pélvico.

Além do mais, é considerável fazer mudanças na rotina para manter os treinos interessantes – já que, com uma agenda cheia de compromissos, pode ser fácil se esquecer do esporte.

Aos 40

É nessa idade que a maioria de nós começa a ganhar peso. E, de acordo os cientistas, os exercícios de resistência (aqueles que utilizam a força) são excelentes para vencer essa batalha contra a balança.

O uso da força durante os treinos mira o acúmulo de gordura e resulta na perda de massa muscular, que ocorre entre 3 e 8% por década de vida.

Os pesos podem assustar, mas são uma excelente forma de combater gordura e perda de massa muscular. GETTY IMAGES

Um conselho seria começar a incluir mais exercícios de força feitos com halteres nos treinos para, depois, apostar nas máquinas de musculação.

Essa é também boa fase para iniciar corridas, o que ajuda o coração, como indica Broderick. E, ao acrescentar pilates, é possível fortalecer as costas, que podem começar a apresentar sinais de problema.

Aos 50

O desgaste físico se evidencia nesta década: podem aparecer dores, desconfortos e mesmo doenças crônicas, como as referentes ao coração e à diabetes do tipo 2.

No caso das mulheres, a diminuição dos níveis de estrógeno faz crescer o risco de doenças cardiovasculares.

Exercícios aeróbicos ajudam a manter o coração saudável. GETTY IMAGES

O recomendável seria, então, incluir em sua atividade física semanal duas sessões focadas em resistência para manter a massa muscular. E, ainda, praticar exercícios cardiovasculares como caminhar ou correr, usando pesos para tornozelos, ou mesmo algo totalmente diferente, como tai chi chuan e ioga, que trabalham o equilíbrio.

Aos 60

A partir dos 60, há mais riscos de enfermidades crônicas. Investir nos exercícios reduz a possibilidade de que esses problemas apareçam, como defendem os cientistas.

Os mais aconselháveis nesta idade são as danças de salão e exercícios leves de força e flexibilidade, uma ou duas vezes por semana, que não tenham tanto impacto nas articulações.

A hidroginástica é uma opção ideal, já que seu impacto é mínimo e trabalha os músculos com a resistência da água.

Frequentar aulas ou grupos de dança é uma excelente ideia para manter uma atividade física moderada e ainda abre a oportunidade de conhecer gente. GETTY IMAGES

Não se deve esquecer, ainda, do exercício cardiovascular, que pode ser, por exemplo, uma caminhada de ritmo leve.

Aos 70 anos ou mais

Ao chegar neste ponto, a meta é se manter levemente ativo e prevenir a fragilidade e as quedas. Além do mais, a prática física ajuda em termos cognitivos.

Vale caminhar e incluir algum exercício de força na semana, mas sempre sob orientação médica.

O importante, no final de tudo, é manter um nível de atividade física estável ao longo da vida.

Fonte: bbc

You may also like
Luto: morre famoso jornalista esportivo da Globo
Famosa fica cega e tem rosto deformado após preenchimento com botox
Mulher sem mãos e pernas tem pedido de benefício negado pelo INSS, e o motivo é desumano
Casal que perdeu 2 filhos busca doador para salvar a vida da caçula