Preocupado, o Papa diz que “tudo será diferente” após pandemia e faz alerta impactante


O Papa Francisco alertou em uma mensagem no último sábado à noite, dia 30 de maio, que “Tudo será diferente”, depois da pandemia do coronavírus, da qual a humanidade emergirá “melhor ou pior”.

Preocupado, o Papa Francisco explicou que ao sairmos dessa pandemia, não poderemos continuar da mesma maneira que estávamos antes, pois de acordo com o pensamento dele, tudo será diferente.

O Papa alerta que precisamos pedir ao Espírito Santo para que nos dê novos olhos, e que abra nossas mentes e os nossos corações para enfrentar este duro momento e o futuro com a lição aprendida.

O representante dos céus aqui na terra, afirma ainda que todo esse sofrimento será inútil se caso não construirmos uma sociedade mais justa e equitativa, mais cristã, porém não somente de nome, mas de realidade.

“Sabemos disso, sabíamos disso, mas essa pandemia que vivemos nos fez experimentar isso de uma maneira muito mais dramática. Temos diante de nós o dever de construir uma nova realidade”, enquanto “hoje o mundo sofre, está ferido, especialmente nos mais pobres, que são descartados”.

O pronunciamento feito por Papa Francisco, deixou muitos fiéis emocionados, além de temerem o que pode vim a acontecer após a pandemia.

Quando sairmos dessa pandemia, não poderemos continuar fazendo o que estávamos fazendo e como estávamos fazendo. Não, tudo será diferente. Todo sofrimento não terá servido para nada se não construirmos juntos uma sociedade mais justa, mais equitativa, mais cristã, não de nome, mas na realidade, uma realidade que nos leve ao comportamento cristão”.

O povo cristão foi alertado a repensar seus atos após todo esse vendaval causado pela pandemia:

“Se não trabalharmos para acabar com a pandemia da pobreza no mundo, com a pandemia da pobreza no país de cada um de nós, na cidade onde cada um de nós vive, esse tempo terá sido em vão. Das grandes provações da humanidade, dentre elas a pandemia, ou se sai melhor ou pior. Não se sai igual”.

Todos contra a Covid-19

Fonte: ISTOÉ