Mourão deixa o lado pacificador, ataca o STF e dá aviso bombástico aos que saíram as ruas pela democracia


O vice-presidente da República Hamilton Mourão, que até então parecia ser o lado pacificador do Governo Federal, deixou a verdade sobre o que pensa vir à tona.

Mourão estava se mantendo em silêncio diante das atitudes polêmicas do Presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido).

Porém, nesta quarta-feira (3), o general do exército Hamilton Mourão, mostrou para o que veio.

Mourão partiu para o enfrentamento ao Superior Tribunal Federal (STF) e criticou veementemente o Ministro Celso de Mello que chegou a comparar a situação política em que o Brasil vive à Alemanha nazista e na ocasião chegou a afirmar que os apoiadores de Bolsonaro querem a volta da ditadura militar.

Para Mourão, as manifestações que aconteceram no último fim de semana pró-democracia promoveu a baderna com saques e violência. O vice-presidente chamou os atos de “abuso”. E deu seu recado aos manifestantes:

“Baderneiros são caso de polícia, não de política. Portanto, não me dirijo a eles, sempre perdidos de armas na mão, os que em verdade devem ser conduzidos debaixo de vara às barras da lei. Dirijo-me aos que os usam, querendo fazê-los de arma política; aos que, por suas posições na sociedade, detêm responsabilidades institucionais”.

COVID-19

O novo coronavírus – Covid-19 – não escolhe suas vítimas, todos estão sujeitos e suscetíveis ao contágio, por isso siga as orientações da OMS – Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde e proteja-se. FIQUE EM CASA!!!

Fonte: Globo