Médica de 88 anos passa entubada 50 dias em UTI, sobrevive à Covid-19 e volta a trabalhar


Uma das gastroenterologistas mais renomadas de todo o Brasil, Angelita Habr-Gama, de 88 anos, viveu um triste drama nos últimos dias. Infelizmente, a doença causa pelo novo coronavírus fez com que os papéis se invertessem e a médica, que estava realizando seus trabalhos cirúrgicos, aos 88 anos, torna-se paciente.

Angelita se locomoveu até o Hospital Oswaldo Cruz, localizado na cidade de São Paulo, no dia 18 de março, três dias após sentir febre e dores em seu corpo. A médica acabava de chegar de uma viagem que tinha realizado para Jerusalém. No momento em questão, o estado de São Paulo contabilizava o total de 240 casos infectados, com apenas três mortes ocasionadas pela doença.

Estando inserida no grupo de risco da doença devido a sua idade, Angelita foi diagnosticada como infectada pela Covid-19 no mesmo hospital que trabalhava à 56 anos de sua vida. De acordo com os relatos dos médicos, Angelita se encontrava com os pulmões bastantes comprometidos e, tomando ciência do fato, decidiram encaminhá-la para a UTI, aonde ficou o total de 50 dias entubada. Felizmente, a médica pôde vencer a batalha contra a doença. “Eu sou uma pessoa muito alegre, gosto da vida e não estava preparada ainda pra morrer”, ressaltou.

Além de conseguir passar pelos problemas ocasionados pela doença, a doutora possui um vasto currículo. De acordo com o site SBT, ela é considerada uma das cirurgiãs mais brilhantes de todo o Brasil, sendo, também, uma referência no que diz respeito a área do sistema gastrointestinal. A doutora também foi a primeira médica a conseguir uma vaga como professora titular em cirurgia na Universidade paulista.

Estando totalmente recuperada da doença, Angelita, agora, ajuda outros pacientes. De acordo com as palavras da médica, ela já operou diversas pessoas após ter alta.

Fonte: SBT