Justiça do Rio toma decisão sobre livro onde educadora bolsonarista defende castigo físico para crianças


O juiz Sergio Luiz Ribeiro de Souza, da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso do Rio de Janeiro, atendeu a um pedido do Ministério Público estadual e proibiu a comercialização do livro “O que toda mãe gostaria de saber sobre disciplina bíblica”, escrito pela educadora Simone Gaspar Quaresma, escritora declaradamente bolsonarista.

De acordo com a decisão, o livro, que defende castigos físicos, como o uso de uma vara, como forma de educar, instiga “castigos físicos com tratamentos degradantes, agressivos e humilhantes” e a educadora “alega que esse tratamento está previsto na Bíblia, usando a religião para persuadir os pais a adotarem seu método de educação”.

Simone Gaspar, escritora responsável pelo material, é casada com o pastor presbiteriano Orebe Quaresma, é mãe de quatro filhos já adultos e apoia abertamente o presidente da República Jair Bolsonaro. Embora a decisão tenha sido pela proibição da venda do livro, na tarde desta terça-feira (28), o mesmo ainda se encontrava disponível para venda no site da educadora pelo preço de R$ 35,00.

“Simone Quaresma aborda a necessidade que os filhos têm da correção com vara. Com farta demonstração de texto bíblicos, ela evidencia como a criação e a correção dos filhos são um reflexo da repreensão de Deus, um Pai amoroso. Neste livro você encontrará conselhos e sugestões de uma mãe de quatro filhos já criados, que experimentou as delícias e agruras de conduzir seus filhos a Deus, enquanto lidava com os pecados deles e com os seus próprios”, diz a sinopse do livro no site.

“A disciplina com vara, quando usada de modo bíblico nos ajuda, não a tornar nossos filhos “impecáveis”, mas penitentes. A disciplina bíblica visa prepará-los para que quando pecarem, sendo confrontados, se dobrem ante a disciplina do Senhor”, diz um outro texto no site.