Falas de Bolsonaro contra isolamento podem ter matado mais seus eleitores, mostra estudo


Desde que começou a pandemia do novo coronavírus no Brasil, que o presidente Jair Messias Bolsonaro está sendo constantemente criticado por suas falas polêmicas. Já no seu primeiro pronunciamento, o presidente classificou o vírus como uma ‘gripezinha’. Segundo o site Folha de SP, a negação da gravidade por parte de Bolsonaro tem ajudado a matar mais pessoas com o vírus.

Estudo aponta evidências de que bolsonaristas violam mais a ...

Entre essas mortes, os principais são os seus eleitores que seguem a risca tudo o que ele fala e declara abertamente em suas entrevistas, redes sociais e outros. Segundo o estudo, toda vez que Bolsonaro minimizou a gravidade da pandemia, as cidades onde ele foi mais votado, foi as que mais quebraram o isolamento e que mais morreu pessoas.

Apoiadora participa de manifestação pró-Bolsonaro em Brasília

A conclusão dessas mortes dos eleitores de Bolsonaro é do estudo de ‘“Ideologia, isolamento e morte: uma análise dos efeitos do bolsonarismo na pandemia de Covid-19”, de quatro pesquisadores da Universidade Federal do ABC (UFABC), da Fundação Getúlio Vargas e da Universidade de São Paulo.”

A reportagem com o estudo mostram que onde Jair Messias Bolsonaro teve mais votos, o isolamento social tem sido os menores e com mais número de óbitos por dia. É como se as falas de Boslonaro levasse seus eleitores direto ao abatedoiro, no sentido de que, eles saem pra ruas sem mascara, não querem ficar em casa por acreditar que a pandemia não é grave entre outros.

 

Fonte: Folha de SP