Auxílio emergencial em análise: saiba os principais erros apontados no sistema da Caixa


Com as dificuldades causadas pela pandemia do coronavírus, doença que já tirou a vida de mais de 200 mil pessoas ao redor do mundo e já contaminou mais de três milhões, o governo tomou a iniciativa de ajudar aquelas famílias que estão sendo mais afetadas com a crise e está oferecendo um auxílio no valor de R$ 600 mensais. 

Mas alguns problemas estão sendo enfrentado pelas pessoas que estão tentando se cadastrar e receber o auxílio. Mas de 13,6 milhões de informais, terá que refazer todo o cadastro novamente, pelo app ou site da Caixa Econômica Federal  para receber o auxilio emergencial de R$ 600 porque o sistema informa que o auxílio está em análise ou foi negado.

Ao analisar em torno 40 milhões de inscrições realizadas no sistema do banco, a Dataprev   não conseguiu identificar se esses trabalhadores têm direito ao benefício. Outros 20,27 milhões foram considerados elegíveis e 6,97 milhões, inelegíveis.

Quando a análise do pedido é inconclusiva, o interessado precisa fazer nova solicitação para corrigir dados informados.

Entre os motivos para esse tipo de resultado estão: marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro; falta de inserção da informação de sexo; preenchimento incorreto de dados de membros da família; divergência de cadastramento entre integrantes da mesma família; e inclusão de alguma pessoa que já morreu.

Ao todo, foram finalizados no sistema 49,2 milhões de cadastros até a tarde de quarta-feira. Desse total, 46 milhões já foram repassados à Dataprev para cruzamento de dados e autorização do pagamento.

Se o resultado for “benefício não aprovado”, o trabalhador também poderá contestar o motivo da não aprovação ou realizar nova solicitação.

O cronograma de saque do auxílio, em dinheiro, para trabalhadores que não tinham conta em banco começou na segunda-feira e continua até 5 de maio, de acordo com o mês de nascimento. Hoje, serão pagos os nascidos em julho e agosto.

A Caixa afirma que tenta acelerar o atendimento, já que muitos enfrentam problemas para acessar o app, o que está gerando grandes aglomerações nas agências. O calendário de pagamento da segunda parcela só será anunciado quando a situação melhorar.

Na última quarta-feira, 29 de abril, mais de 3,6 milhões de brasileiros receberam o pagamento de R$ 600, o que representa um valor bruto de R$ 2,6 bilhões. Entre os beneficiados, 1,7 milhão são trabalhadores informais que não aparecem no cadastro do governo e fizeram o cadastro no aplicativo e site do banco.

Fonte: O Globo