ALERTA: esta é a verdade sobre os riscos do álcool em gel caseiro para combater o coronavírus


O anúncio da pandemia do novo coronavírus, Covid-19, levou a uma corrida em busca do álcool em gel, produto que segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) é eficaz para higienização em forma de prevenção do contágio.

A grande procura causou escassez do álcool em gel no mercado e quando o consumidor encontra os valores são exorbitantes.

Neste novo cenário começou a circular nas redes sociais receitas e vídeos ensinando como produzir o álcool em gel caseiro.

Também vem sendo amplamente compartilhado na internet uma receita que a Organização Mundial da Saúde, publicou em seu site, “para elaboração de formulações recomendadas para desinfecção das mãos”.

Embora em um primeiro momento a ideia pareça tem parecido ser a melhor saída, segundo as autoridades competentes a realidade não é bem assim.

Mas é possível produzir álcool em gel caseiro eficaz?

Não se pode confiar nas receitas que circulam na internet, existe muito material enganoso e receitas caseiras não tem eficiência comprovada, afirmou o dermatologista Antonio Clemente Ruíz de Almirón, porta-voz da Academia Espanhola de Dermatologia e Venereologia.

“A disseminação de tudo isso pode levar as pessoas a confiar em algo que realmente não tem eficácia comprovada contra o vírus ou que pode até ser prejudicial à pele”, diz o especialista.

Ruiz ressaltou que se você optar pelo uso do álcool em gel, compre aqueles que já foram aprovados pelas agências reguladoras de casa país.

Na falta do álcool gel o ideal é lavar as mãos com água e sabão da maneira adequada por aproximadamente 20 segundos, ato que deve ser repetido várias vezes e sempre que necessário.

Veja como agir em tempos de Covid-19:

Fonte: UOL